A cada dois anos temos eleições no Brasil, com elas somos presenteados com campanhas políticas de todos os tipos e, cada vez mais, a internet vem sendo utilizada como palco principal para ações de marketing, engajamento e inteligência.

Depositphotos.com/SergeyNivens As ferramentas mais utilizadas no marketing político digital são o Facebook, Twitter e Blog.

Estamos a uma distância enorme de contarmos com uma campanha digital que aproveite tudo o que as ferramentas e plataformas digitais possuem. A maior parte das investidas na web se resumem a ter uma página no Facebook, um perfil no Twitter e, talvez, um blog para o candidato.

As equipes utilizam o meio digital para falar da agenda do candidato, divulgar fotos e replicar o conteúdo produzido pela televisão.

Com uma utilização tão minimalista a presença digital acaba servindo apenas para enfeite, basta ver os números de acesso de sites de políticos. A população não quer ver as fotos da caminhada, a frase do dia ou a fala do candidato para um grupo de pessoas.

O povo quer discutir propostas que sejam de seu interesse, conhecer os projetos e história do político, dialogar com a campanha e fazer parte de algo.

O objetivo final não deveria ser o número de “likes”, nem o de compartilhamentos. O objetivo final deve ser impactar positivamente o maior número de eleitores possível para que estes deem seus votos no dia certo.

Será necessário atrair o eleitor com conteúdo relevante, proporcionar interação, coletar dados e mobilizá-lo por meio de comunicação regular.

Uma boa campanha digital contará com algumas etapas básicas:

Pesquisa

Nada começa sem um amplo levantamento de temas, públicos, influenciadores, cenário político e canais de comunicação.

Planejamento

Em campanhas políticas, o tempo é muito curto e precioso. A atuação da presença digital deve ser planejada com antecedência e precisão semanal.

Setup de canais

Não adianta investir em plataformas baratas e soluções mágicas. É preciso contar com uma boa tecnologia que garanta segurança e coleta de dados do eleitor para ativação posterior. Tudo isso com um bom aspecto visual e facilidade de uso.

Produção de conteúdo

A chave para o diálogo é a produção de conteúdo segmentado. É preciso elaborar conteúdos para cada um dos públicos-chave da campanha. O tom, a linguagem e a forma de abordar os temas devem ser adequados para proporcionar impacto e replicação.

Gestão de conteúdo

Durante o processo eleitoral, surgirão dúvidas dos eleitores e é preciso estar preparado para estabelecer um relacionamento. É necessário contar com profissionais capacitados para o diálogo informativo, que deverão utilizar os canais digitais para criar empatia, dando informação e produzindo engajamento.

Monitoramento e gestão de crise

A cada momento surgem oportunidades e crises em uma campanha. Todo eleitor que busca informação é uma porta aberta para uma abordagem, da mesma forma que uma reclamação publicada pode ser o início de uma crise. Existem ferramentas de monitoramento e profissionais que podem atuar quase que em tempo real, apenas monitorando termos de busca principais.

Uma campanha digital bem feita irá servir para mobilizar o eleitorado, mas também pode pautar a mídia tradicional e potencializar as ações dos militantes e simpatizantes.

Só é preciso investir direito e com profissionalismo. Para obter mais informações, o novo curso da Internet Innovation – Marketing Político Digital – abrange de forma minuciosa todos os tópicos acima, com teoria, prática e cases, para desenvolver uma campanha política de sucesso na Internet.

Autor: Marcelo Vitorino – Professor do curso Marketing Político Digital na Internet Innovation
Sócio da Presença Online, empresa focada em capacitação, gestão de comunidades e gestão de crise. Marcelo foi o profissional responsável pela campanha digital diversos candidatos, incluindo a participação da  campanha do 2º turno de José Serra. Ministrou palestras em quase todos eventos digitais, cursos pelo SEBRAE além de aulas em faculdades como ESPM, PUC e Mackenzie.

Marcelo também administra os famosos blogs: Pergunte ao Urso; Mais de Trinta; Pérolas Políticas; Amélias e Naquela Mesa.

 

 

Internet Innovation

One thought on “Marketing político e eleitoral: planejando a campanha digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *