Não existe uma única definição para o termo arquitetura da informação. Mas no âmbito da internet podemos descrevê-la como um conjunto de técnicas especializadas usadas para organizar a informação contida nos websites de forma lógica e compreensiva, com o objetivo de torná-los intuitivamente navegáveis.

Flickr.com/TED Conference O responsável pelo termo “arquitetura da informação” foi o designer gráfico, Richard Wurman.

A arquitetura da informação sempre leva em consideração os aspectos ligados à interação entre o homem e o computador. Algo que também se relaciona ao modo pelo qual um site agrupa o seu conteúdo e também a maneira de utilizar os elementos de design e programação. Em outras palavras, a arquitetura da informação serve para tornar os sites mais user-friendly, algo que podemos traduzir como amigáveis. Feitos para ajudar os usuários a encontrar aquilo que procuram.

Richard Wurman, designer gráfico com formação em arquitetura e autor de diversos livros sobre o assunto, foi o responsável por cunhar o termo “arquitetura da informação” em 1976. Wurman criou a expressão referindo-se à grande quantidade de informação gerada pela sociedade contemporânea e que segundo ele, nos é apresentada com pouco cuidado ou ordem.

Mais do que organizar e estruturar a disposição dos elementos em uma página de internet, a arquitetura da informação envolve também fatores como a usabilidade e a experiência do usuário. Premissas que também atendem aos objetivos de SEO. A própria ideia por trás do Search Engine Optimization é conseguir obter para os usuários a informação desejada de forma rápida e fácil. O Google, por exemplo, vem tornando cada vez mais relevantes os critérios que levam em conta a experiência do usuário para determinar o posicionamento dos sites em seus rankings.

A recomendação feita pelos profissionais de arquitetura da informação é que o webmaster sempre ouça os usuários de internet que fazem parte do seu público-alvo. Dessa forma ele pode verificar se os elementos utilizados em sua página agradam os internautas que possivelmente vão navegar nela. Sites confusos ou difíceis de usar, muito provavelmente não obtêm bom desempenho. Entre outros efeitos, a frustração dos usuários pode levá-los a abandonar a página, o que contribui para o aumento das taxas de rejeição, importante métrica de qualidade no SEO.

Internet Innovation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *