O Google, em sua sede em São Paulo, anuncio o lançamento do seu programa de aceleração, chamado Google Launchpad Accelerator.

Foto: Eduardo Santos

Foto: Eduardo Santos

A iniciativa foi desenvolvida para fomentar o crescimento de soluções digitais inovadoras que já estejam disponíveis em seus respectivos mercados. O objetivo é impulsionar os projetos selecionados para que se tornem uma referência de qualidade e sejam relevantes em escala global.

Fábio Coelho, Presidente do Google Brasil, participou do anúncio e se mostrou muito feliz com o lançamento do programa. “Esse tipo de iniciativa irá representar e fortalecer o crescimento dos negócios do Google no Brasil”, comenta.

Lançado simultaneamente em três países – Brasil, Índia e Indonésia – cada ciclo do programa terá duração de seis meses e foi criado com intenção de funcionar como um complemento ao trabalho que já é realizado pelas aceleradoras, dando apoio para startups em growth stage.

O que levou o Google a escolheres estes três países é que, segundo dados do programa, até 2018 aproximadamente 2,2 bilhões de pessoas devem se tornar usuárias de smartphones, sendo 670 milhões proveniente destes três países. Com essa iniciativa, o Google pretende apoiar e fortalecer estes empreendedores para que eles possam melhorar seus aplicativos e serviços digitais para transformá-los em plataformas de inovação globais que impactem milhões de usuários todos os dias.

Critério de seleção

O programa busca startups de base tecnológica que já possuam produto e que queiram aumentar a velocidade do seu crescimento. Também buscam aplicativos ou tecnologias que tenham impacto na economia local para que possam impactar também na economia de outros mercados emergentes.

Benefícios

  • Funding sem contrapartida – 50 mil dólares;
  • Acesso aos especialistas do Google – as startups terão acesso contínuo a mentores, gerentes de produto e engenheiros;
  • 2 semanas no Vale do Silício para um processo de aceleração e imersão;
  • Seis meses de coworking – Espaço no Google Campus São Paulo ou em escritórios parceiros como a Plug;
  • Conexão com fundos de Venture Capital e parceiros – fundos situados nos Estados Unidos e no Brasil;
  • Créditos em produtos de Cloud do Google – 100 mil dólares para gastar em um ano.

O plano é impactar pelo menos 15 startups brasileiras em 2016. Isso representa um investimento total de 1 milhão de dólares, considerando os valores de capital semente, aluguel do espaço de coworking e os custos da viagem e estadia na sede do Google na Califórnia. Além disso, as startups selecionadas receberão 1 milhão e meio de dólares em créditos para gastar com produtos de Cloud do Google.

Para a primeira turma do programa foram selecionadas 8 startups do Brasil, 6 da Indonésia e 8 da Índia que embarcam em janeiro de 2016 para a imersão no Vale do Silício.

Para a seleção das startups, o Google entrou em contato com diversas aceleradoras e fundos de Venture Capital do Brasil para filtrar algumas sugestões de projetos. Todo esse processo aconteceu meio “às escuras” porque a empresa pretendia manter sigilo até o lançamento do projeto. O Google entrou em contato com algumas startups questionando o interesse em participar de um novo programa, mas sem entrar muito em detalhes. Todas as inscrições foram avaliadas por profissionais do Google no Brasil e nos EUA.

Veja a lista das startups selecionadas.

AgroSmart – Reúne conceitos de Internet das Coisas e Computação em Nuvem, a empresa processa variáveis dos dados coletados no campo, de forma a fornecer aos fazendeiros a quantidade exata de irrigação que as terras precisam, entre outras informações relevantes.

Cuponeria – Plataforma móvel de cupons que avisa o usuário quando há uma ótima oferta próxima ao local onde ele está. Para obtê-la, é necessário selecionar o cupom gratuito e apresentar o código gerado na loja participante.

Qranio – Plataforma móvel com a missão de tornar o aprendizado mais divertido por meio da gamificação do conteúdo educacional e estimulando os usuários a aprender em todos os momentos.

ProDeaf – Plataforma completa que pode traduzir e falar qualquer linguagem de sinais por meio de um avatar desenvolvido em tecnologia 3D.

Superplayer – Serviço brasileiro de recomendação de musicas que visa melhorar cada momento da vida das pessoas com a trilha sonora perfeita. Os usuários tem acesso a centenas de trilhas sonoras organizadas por humor, gênero musical e outras categorias especiais.

UpBeat Games – Desenvolvedor de jogos para celulares. Os produtos criados pela empresa são envolventes, sociais e funcionam em diferentes plataformas.

Elo7 – Pioneira no Brasil para compra e venda de artesanato, a plataforma conecta artesãos com pessoas apaixonadas por artesanatos e objetos customizados, promovendo uma experiência social e conversacional de comércio em um ambiente seguro e conveniente.

Hand Talk – Efetua traduções automáticas para a linguagem de sinais usada pela comunidade surda. As soluções oferecidas pela ferramenta permitem que pessoas com deficiência auditiva possam estabelecer uma comunicação com ouvintes, além de ter contato com informações acessíveis em linguagem de sinais, já que a maioria das pessoas com deficiência não compreendem a linguagem escrita de seus países.

Durante o anúncio de lançamento do programa, estavam presentes as startups Agrosmart, Cuponeria e Elo7. Elas conversaram com o Startupi e se mostraram muito animados com a oportunidade de participar dessa nova iniciativa.

“Nós não tínhamos muitas informações, apenas nos disseram que seria um projeto muito legal do Google, não pensamos duas vezes e nos inscrevemos”, conta Nara Iachan, da Cuponeria.

Para Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, essa oportunidade é estratégica para sua startup já que trabalham diretamente com Internet das Coisas e Computação em Nuvem, área que o Google tem grande conhecimento.

Carlos Curioni e Guto Araujo, da Elo7, estão dando um foco cada vez maior na sua solução, para plataforma mobile, e a oportunidade do programa e de conhecer a sede do Google no Vale do Silício irá proporcionar um aprendizado em uma velocidade muito mais rápida.

José Papo, Gerente de relação com startups e desenvolvedores do Google, é o responsável pelo programa na América Latina. Ele destaca que as startups da primeira turma são de diferentes locais do Brasil como Campinas, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de janeiro, Maceió, São Paulo, Recife e também trabalham em distintos mercados.

Foto: Eduardo Santos

Foto: Eduardo Santos

Ele ressalta que o Google não está competindo com outras aceleradoras, mas que estão trabalhando em conjunto para somar e compartilhar para que as startups em fase de crescimento tenham mais um canal de saída.

José também destaca que um ponto muito importante do programa são as conexões que as startups terão. “Elas estarão em contato com Israel, Índia, Indonésia e Vale do Silício, mas do que o dinheiro, essas conexões valem ouro e podem gerar muitos negócios”.
Há tempos o Google trabalha com desenvolvedores para facilitar a criação de plataformas com o potencial de gerar inovação massiva. Ao apoiar os empreendedores que estão criando as próximas grandes tecnologias nos mercados emergentes, estão ajudando a construir a infraestrutura que servirá de base para a experiência digital de milhões de novos usuários. “O Google sozinho não é nada, nossa intenção é fomentar o ecossistema e crescer a economia”, afirma José Papo.
Participar de um processo como esse é o sonho de todo empreendedor, não é mesmo? Então aproveite que as inscrições já estão abertas para a segunda turma. Para saber mais sobre o programa e conhecer as startups selecionadas da Índia e Indonésia clique aqui.

Via @Startupi 

Fabio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *