O marketing nas redes sociais tem se tornado uma importante ferramenta para as empresas, especialmente com a popularização do Facebook entre usuários brasileiros. No atual contexto, fãs e seguidores são verdadeiros ativos de marca. São eles os porta-vozes, defensores e até mesmo os críticos de uma marca. Além de conectar-se com fãs e seguidores, o principal objetivo de uma marca ao entrar nesse universo é estabelecer um diálogo, obter interação. O segredo para obter o engajamento vai além das páginas e perfis sociais, envolve uma estratégia na qual não só os ativos de mídia social são usados para gerar notoriedade. Estamos nos referindo ao SMO ou Social Media Optimization.

Depositphotos.com/arrow123 O SMO busca a integração do conteúdo com ferramentas sociais, com o objetivo de estimular o engajamento e interação.

O processo consiste mais do que simplesmente direcionar tráfego por meio da otimização social de um site e de seu conteúdo, usando a integração com ferramentas de redes sociais. Social Media Optimization está relacionado à interação dos usuários com os sites, por meio de conteúdos e compartilhamentos.

O termo Social Media Optimization (SMO) foi criado por Rohit Bhagava em 2006, em um momento no qual as técnicas de SEO já eram conhecidas. O autor propunha a integração desses aspectos com tendências sociais emergentes e que na época eram pouco difundidas. Em uma postagem feita no seu blog o autor propôs as suas 5 regras para o SMO. Após causar grande exaltação, Bhagava decidiu atualizar suas regras em 2010 e já em meio à consolidação de redes sociais como Twitter e Facebook.

Confira abaixo as 5 regras do SMO propostas por Rohit Bhagava:

  • A criação de um conteúdo relevante e capaz de ser compartilhado é a primeira regra a ser seguida para dar visibilidade a um site. Os Blogs são boas alternativas para a promoção de conteúdos e divulgação de perfis de redes sociais. Outra finalidade aqui é estimular a criação de links e para poder aumentar o tráfego de forma natural;
  • Facilitar o compartilhamento é a segunda regra descrita por Bhagava. Estimular visitas e fazer com que o seu conteúdo possa ser acessado por meio de tags, feeds e badges e outras funcionalidades das redes sociais tornam a tarefa de recomendar conteúdos mais simples;
  • Retribuir o engajamento obtido é uma das formas de perpetuar o diálogo nas redes e de também valorizar a participação do público. A terceira regra do SMO estipula que sempre deve existir um meio de retribuição aos usuários. Seja por meio de likes, retweets ou com um simples “Obrigado!”;
  • Investir em outros formatos e em diferentes plataformas ou canais de distribuição de conteúdo diz respeito à quarta regra. Além de divulgar o conteúdo é necessário referenciá-lo nos perfis oficiais de redes sociais, respeitando as particularidades de cada uma delas;
  • Estimular a co-criação de conteúdos é a quinta regra do SMO. Uma das características primordiais da internet é a sua capacidade de se apropriar de conteúdos, incorporar novos elementos, modificá-los e reproduzi-los. Encorajar o público a produzir conteúdos de forma colaborativa deve ocorrer de forma a promover sua marca, produto ou serviço.

As semelhanças com as técnicas de search engine opitimization presentes nas regras descritas acima são evidentes. Redes sociais são importantes fontes de tráfego, assim como mecanismos de pesquisa e no que diz respeito às estratégias de SEO, proporcionam mais do que uma simples forma de divulgação. Interações e compartilhamentos realizados pelos usuários nas redes contribuem naturalmente para que os sites recebam links, por meio de menções feitas em blogs ou em outros sites.

Na verdade, as iniciativas de Social Media têm se tornado tão decisivas para o SEO, que os mecanismos de pesquisa passaram a levar em conta alguns dos indicadores de redes sociais como fatores de ranqueamento. Ainda não está claro qual a exata proporção desses indicadores frente aos fatores já utilizados. Mas, especula-se que as pesquisas realizadas no futuro estarão cada vez mais ligadas aos aspectos de interação social e compartilhamento nas redes. Além do sistema de popularidade de links já usado hoje em dia, seriam adotados os índices de reputação social, para as páginas e domínios, e o índice de conteúdo compartilhado.

Fontes:

Wikipedia >> http://en.wikipedia.org/wiki/Social_media_optimization

Livro >> Ana Brambilla, Um Guia Prático Sobre Social Media Optimiztion.

Internet Innovation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *