Marketing pós-pandemia deve ser bem trabalhado para recuperar as vendas perdidas

O Coronavírus impactou as empresas e fez com que o marketing pós-pandemia fosse mais que nunca direcionado aos consumidores.

A Covid-19 por um tempo fez com que o mundo desacelerasse. Com isso vieram as quedas nas vendas e o impacto foi bastante sentido pelas empresas.

Estudos realizados com empresas B2B apontam que elas tiveram uma redução de 85% nas receitas e 74% das entrevistadas estão encontrando dificuldades para captar clientes.

As organizações mais impactadas são aquelas que não fazem uso dos meios digitais, por isso o marketing pós-pandemia deve ser pensado para usar canais diversos, principalmente os que podem conectar clientes digitalmente.

Um ponto deve ser levado em consideração antes de elaborar as estratégias: a pandemia fez com que o consumo diminuísse, a renda caísse e, como consequência, as pessoas entenderam que não precisam de tanto e se tornaram mais conscientes em relação ao consumo e meio ambiente.

Esses fatores devem ser levados em consideração no marketing pós-pandemia, pois, a partir de agora o cliente não apenas será a peça central dos negócios como será preciso conhecê-lo ainda melhor.

Marketing pós-pandemia

Como fazer marketing pós-pandemia

As perguntas que muitas empresas vêm se fazendo é como chegar ao cliente e que campanhas trarão resultados.

Não existe uma resposta pronta para elas, mas, o que se tem observado é que o consumo de conteúdo online e que o relacionamento está cada vez mais digital, portanto, apostar no online é a resposta certa.

Garantir que a marca faça a diferença

Durante a pandemia, marcas que se envolveram com o Coronavírus, apoiando ações e atuando em prol da sociedade, ganharam mais visibilidade e se tornaram mais apreciadas pelos consumidores.

O marketing pós-pandemia deverá manter essa atitude garantindo que a visão passada não seja apenas de uma organização que se preocupa em vender, mas que atua em parceria com as pessoas e que traz soluções para elas, mesmo em momentos difíceis.

Usar soluções de customer intelligence

Conhecer o cliente será mais importante do que nunca e será preciso saber quais seus gostos, o que podem influenciá-lo, o que os concorrentes estão fazendo por ele e o momento de fazer uma oferta.

Com tantos dados existentes será preciso contar com soluções de customer intelligence para reunir uma quantidade enorme de dados, conseguir entendê-los e dessa forma trabalhar as informações para que resultem em negócios.

Por exemplo, um cliente que está pesquisando informações sobre as seguradoras de carro mais confiáveis lendo o texto de um blog. Possivelmente está pensando em contratar um seguro, porém, antes de fazer a oferta é preciso identificar se ele já possui um veículo e qual o modelo.

Tendo dados suficientes, as ofertas poderão ser feitas no tempo certo e da maneira correta, garantindo mais sucesso nas ações de marketing.

Interação virtual para suprir a ausência física

O distanciamento social conectou as pessoas digitalmente. Nunca se realizou tantas reuniões com recursos de vídeo ou eventos virtuais com a presença de tantas pessoas.

Essa deve ser uma tendência a continuar, pois, as pessoas que estão distantes precisam se aproximar e nem sempre a presença física será necessária.

Quando se fala de interação virtual estamos falando algo além de um webinar que aborda um assunto pontual e possui curta duração.

Nesse caso, tratam-se de eventos mais longos como palestras, feiras e exposições onde todo ou boa parte do relacionamento pode ser digital e com interação entre os participantes.

Comunicar-se de maneira online

O marketing físico não deixará de existir, porém, os maiores esforços serão demandados no online porque as pessoas mais do que nunca estão utilizando canais como redes sociais, sites, blogs e vídeos para se comunicarem e se informarem.

Esses canais deverão ser utilizados de diferentes maneiras e com formatos variados para que se possa ter um relacionamento com o cliente. Eles serão excelentes para anunciar, se comunicar e manter as vendas.

Investir em experiência

O que vai diferenciar um concorrente do outro pode ser a experiência proporcionada por ela, uma vez que os produtos e serviços muitas vezes são parecidos.

O relacionamento direcionado, por exemplo, nas redes sociais com respostas personalizadas terão um grande resultado. Uma oferta, como já dissemos, precisa ser feita na hora certa e conforme a necessidade de cada cliente.

O momento da compra também deve ser único, afinal, o marketing pós-pandemia continuará a explorar o pós-vendas. Garantir uma entrega rápida, oferecer um mimo junto com o produto e buscar saber como foi a experiência de compra e se está gostando do que adquiriu é uma maneira de investir na experiência.

O marketing no pós-pandemia mais do que nunca estará focado no online e o consumidor será o foco de atuação com a personalização agindo como protagonista.

Por Jeniffer Elaina, do site SeguroAuto