Decifrar o comportamento do consumidor, suas preferências e escolhas, certamente é uma tarefa extremamente difícil. Embora existam diversos estudos acadêmicos sobre o assunto, além de inúmeros cases de sucesso na área de comunicação e marketing para usarmos como referência, na maioria dos casos a eficácia de uma campanha nessas duas áreas só pode ser avaliada com precisão a partir do feedback do próprio público. Isso não significa dizer, no entanto, que a empresa deva assumir uma postura passiva.

Uma das estratégias mais recomendadas para aprimorar a eficácia das ações de comunicação e marketing de uma organização, aumentando, assim, as taxas de conversão, é a realização de testes A/B. Cores dos botões de compra, palavras-chave utilizadas, Layouts, CTAs (Call to Action), enfim, é possível avaliar, através de experimentos, quais são os elementos que mais atraem o consumidor nas peças enviadas pela empresa. Nesse post, você conhecerá quatro dicas para aprimorar o seu aprendizado durante a realização desses testes. Confira!

1– Faça testes minuciosos

Quando uma campanha não rende o esperado, é muito comum que seja feita uma renovação completa na peça enviada para o público. No entanto, nem sempre essa é a melhor alternativa, e por isso a importância de se realizar testes A/B. Em muitos dos casos, trocar apenas uma palavra, como “promoção” no lugar de “desconto”, pode mudar bastante o número de conversões realizadas com a estratégia.

Por isso, antes de repaginar o material enviado, opte por fazer pequenas mudanças e acompanhar a reação do público à elas. É possível se surpreender bastante com os resultados, e o aprendizado pode ser repassado para as campanhas a seguir.

2– Siga um roteiro bem definido

Da mesma forma que os testes devem ser feitos de maneira minuciosa, é preciso estabelecer um roteiro para fazer as mudanças. Cada nova opção feita merece um acompanhamento especial, até que sejam realizadas mais alterações. É preciso avaliar item por item e as mais variadas combinações possíveis, para saber qual será a versão definitiva que será usada para ser enviada aos clientes.

3– Dê tempo ao tempo

O tempo é um critério importante por dois motivos: Em primeiro lugar, para avaliar quantas conversões foram efetuadas no período em que a peça esteve disponível ao público. Em segundo, pois devemos considerar as sazonalidades durante a exibição do material. Por isso, leve em consideração um prazo de 30 dias para avaliar a verdadeira eficácia de uma campanha, e evite, ao máximo, fazer testes em datas comemorativas ou sazonalidades, para não “adulterar” os testes.

4– Equipe especializada

Por fim, e não menos importante, é fundamental que os testes sejam realizados por uma equipe fixa e especializada. Todos os resultados devem ser controlados por esses profissionais, que devem sempre oferecer relatórios para a gestão apontando os resultados. Mais importante ainda é evitar a rotatividade de funcionários até que os testes estejam finalizados, o que certamente vai diminuir o retrabalho.

Você costuma fazer testes A/B no material disponibilizado ao público? Não perca mais tempo e comece os experimentos. Para mais dicas, assine a nossa newsletter e receba conteúdo de primeira para otimizar as suas campanhas de e-mail marketing!

Fonte: RockPigeon / Por André Metzen 
Imagem: Viver de Blog

Internet Innovation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *